Saiba como corrigir o som da sua igreja com 3 dicas matadoras

Saiba como corrigir o som da sua igreja com 3 dicas matadoras

Tudo pronto para começar: som regulado, músicos ensaiados, vozes e instrumentos afinados. “Música para os ouvidos, remédio para a alma”, certo? Só que não 🙁 Já nos primeiros acordes, ruídos, delay, ecos se espalham pelo ambiente, prejudicando bastante a mensagem das músicas.

Essa cena é comum para você? Com dicas práticas e simples, saiba como corrigir os problemas mais frequentes de sonorização da sua igreja, que também podem ocorrer com frequência em qualquer ambiente musical.

Atualmente, muitas instituições religiosas contam com equipe especializada em som, recursos para investir em instrumentos, equipamentos e acessórios de qualidade. Boa parte dos grupos é formada por músicos capacitados, embora somente poucos sejam profissionais. Mas essa estrutura e aparelhagem de som das igrejas não são suficientes para resolver problemas de origem acústica.

Antes de tudo é importante conhecer as especificidades de cada ambiente para planejar o som e investir nos equipamentos adequados. Existem objetos que exercem influências positivas e negativas em relação aos sinais sonoros, e podem reduzir a energia da onda, desviar, ou até absorver e impedir a propagação. Esses eventos ocorrem em função de três principais fenômenos:

  • Reflexão – Acontece quando o som encontra obstáculos que obrigam a mudança de direção. Algumas consequências disso são o eco e a reverberação.
  • Refração – Ocorre nas situações em que a onda sonora muda de direção após passar de um meio material para outro. Por exemplo, quando passa do ar para a água.
  • Difração – O som pode contornar obstáculos. É possível se ouvir a conversa de duas pessoas numa sala, por exemplo, mesmo se o ouvinte estiver em outro local. Para esse fenômeno ocorrer, no entanto, é preciso que a dimensão do obstáculo seja inferior ou semelhante ao comprimento da onda sonora.

Esses eventos também estão relacionados com as propriedades do som: intensidade, timbre e altura. Portanto, conhecer as características físicas da nave, local onde será planejado o som, é o primeiro passo para melhorar o som das igrejas. E como consequência atingir o melhor retorno sobre o investimento em aparelhagem, como caixas de som, mesas, amplificadores, microfones, instrumentos musicais.

Mesmo num “ambiente caótico” com medidas (alturas e larguras) muito distintas, é possível corrigir as distorções, sem grandes gastos com modificações arquitetônicas. Lembre-se disso, em muitos casos os problemas acústicos não são derivados das fontes emissoras: vozes, instrumentos e equipamentos de som. Músicos, instrumentos e técnicos precisam estar em harmonia com o ambiente.

Olhe para o espaço e faça uma reflexão: qual o melhor posicionamento para as caixas e para os músicos, teste a melhor regulagem dos canais e amplificadores, é necessário uso de fones de ouvido? Para ajudá-lo com essas correções no som da sua igreja fizemos esse checklist com 3 dicas matadoras. Acompanhe!

Fique atento aos microfones

Pode até parecer simples, é o arroz com feijão mesmo. Mas se a captação não estiver alinhada com o ambiente e com as características e propriedades do som, as interferências físicas podem provocar danos por vezes irreparáveis. Para não errar, sugerimos que escolha o microfone mais adequado para as características da sua igreja.

São três tipos disponíveis: os dinâmicos; os condensadores e os de fita (inadequados para eventos ao vivo). Cada aplicação necessita de um microfone com padrão específico. E dependendo das características do seu planejamento, recomenda-se o uso de filtros high pass e low pass para assegurar mais integridade ao som, já que nem todas as fontes emitem as diferentes frequências.

Mesa de som sob controle

Mais um passo simples. É hora de ajustar a estrutura de ganho em função do ambiente, equipamentos disponíveis, necessidades específicas dos músicos, posicionamento do grupo e instrumentos. O ajuste serve para garantir a integridade das ondas sonoras e evitar distorções. Não esqueça de silenciar ou desligar os canais que estiverem fora de uso. Mesas digitais e até as analógicas oferecem recursos para a criação de grupos de canais.

Equalização na medida certa

Sabe-se que a equalização é um dos processos mais importantes para mixagem. Mas essa etapa deveria ser sempre uma das últimas coisas a se pensar. Antes é preciso cobrir os passos básicos do checklist que mencionamos neste artigo. Pode parecer óbvio, mas aplique a equalização só quando necessária. Às vezes, apenas um ajuste no posicionamento do microfone já é suficiente. Você também pode recorrer aos filtros HPF e LPF. Os instrumentos devem soar em harmonia, não isolados. Pense nisso: em muitos casos é melhor atenuar do que acentuar uma frequência.

Gostou desse checklist para corrigir o som da sua igreja?

Aproveite e deixe um comentário neste post com sugestões para outros artigos e assine nossa newslatter.
Nossa dica extra é procurar apoio profissional de lojas especializadas como a Vitória Som. Trabalhamos com as grandes marcas globais no segmento de áudio profissional e com o maior estoque a pronta entrega da Internet.

Fale com Nossos Especialistas Agora Mesmo!

Pelo whatsapp (19) 99488-1153 ou clique no botão

Share this post

Deixe seu comentário, dúvida ou resposta abaixo


%d blogueiros gostam disto: